domingo, 31 de março de 2013

Lazio teve balanço positivo na última temporada

Desde quando Claudio Lotito adquiriu a Lazio, ele tenta economizar o máximo possível, talvez seja porque o proprietário pegou o clube romano com muitas dívidas. Fato é que a cada ano Lotito vem aumentando os lucros e segundo uma pequisa feita pelo jornal Gazzetta dello Sport, o clube fechou a última temporada no azul.

A Lazio foi um dos poucos clubes que obtiveram lucro na última temporada (Foto: Divulgação/Gazzetta dello Sport)
Além da Lazio, apenas sete times conseguiram esta façanha na temporada passada: Napoli, Udinese, Siena, Chievo, Catania, Cesena e Cagliari terminaram a temporada com saldo positivo. A equipe biancoceleste teve um crescimento bastante significativo em relação à temporada 2010-11 - o lucro aumentou em dez milhões de euros. Curiosamente, as equipes que tiveram lucro não foram bem na temporada (com exceção de Lazio, Napoli e Udinese). O Siena terminou o campeonato na 14ª colocação, o Chievo na 10ª, o Catania na 11ª, o Cagliari na 15ª e o Cesena terminou na última colocação, amargando um doloroso rebaixamento.

Porém, clubes tradicionais do futebol da "bota" fecharam a temporada no vermelho: Inter, Juventus, Milan, Roma e Fiorentina não lucraram na temporada que passou. A Inter teve um prejuízo de 89,8 milhões de euros; o Milan não ficou muito atrás, os rossoneri tiveram uma perda de 67,8 milhões; já a campeã Juventus perdeu 48,7 milhões de euros; Roma e Fiorentina também tiveram altos prejuízos: a equipe da capital perdeu 58,5 milhões e a viola perdeu 32,5 milhões de euros na última temporada.

A administração de Lotito é bastante contestada, mas, olhando estes números, vemos que o cartola é consciente e gasta apenas o necessário. Porém, as equipes que fecharam a temporada no vermelho ganharam algum título (caso da Juventus), ou brigaram até o final pelo scudetto (caso do Milan). A pegunta que fica é: é melhor ser um campeão com dívidas, ou um perdedor consciente?

sábado, 30 de março de 2013

Lazio vira sobre o Catania e reencontra a vitória

Depois de três derrotas consecutivas, a Lazio voltou a vencer na Serie A. Jogando no estádio Olímpico, o time biancoceleste derrotou o Catania de virada, com um gol contra de Legrottaglie e um pênalti cobrado por Candreva.

Foto: Reprodução/La Presse


A Lazio dominou a partida, mas encontrou dificuldades para marcar o gol. Aos 15 minutos, Saha, que fez sua estreia como titular, perdeu uma ótima chance após boa jogada de Onazi. Aos 28', Cana acertou a trave. Só que, no início do segundo tempo, Radu tentou cortar e, em um lance de pura sorte, Izco abriu o placar. Ederson ainda fez grande jogada que Kozak não conseguiu converter em gol. Parecia que a bola teimava em não entrar.

Só que a situação do time da capital mudou quando, a dez minutos do fim do jogo, Radu cruzou e Legrottaglie, na tentativa de cortar, acabou balançando as próprias redes e colocando a Lazio de volta na partida. No lance seguinte Ederson foi derrubado na área e o árbitro marcou pênalti. Candreva cobrou e fez a Lazio reencontrar o caminho da vitória.

Somados os outros resultados, o time de Vladimir Petkovic se recuperou na tabela e agora ocupa a quinta posição. Vale lembrar que, na próxima rodada, a Lazio joga o dérbi contra a Roma.

Lazio-Catania 2-1

Lazio (4-1-4-1): Marchetti; Gonzalez, Biava, Cana, Radu; Ledesma; Candreva, Onazi (63' Ederson), Hernanes (75' Klose), Lulic; Saha (63' Kozak).
Técnico: Petkovic.

Catania (4-3-3): Andujar; Alvarez, Bellusci, Legrottaglie, Marchese; Izco, Lodi, Biagianti (86' Doukara); Barrientos, Bergessio, Gomez (78' Castro).
Técnico: Maran.

Gols: 50' Izco (C), 79' Legrottaglie (contra, L), 82' Candreva (pên., L).

Cartões amarelos: Marchese (C), Ledesma (L) Barrientos (C), Marchetti (L).

Árbitro: Massa;
Assistentes de linha: Paganessi, Crispo;
Assistentes de área: Russo e Ostinelli;
4º árbitro: Petrella.


sexta-feira, 29 de março de 2013

Lazio terá uniforme especial na final da Coppa Italia



Com a chegada da reta final da temporada, a Lazio ainda está brigando por seus objetivos em três competições: Serie A, Europa League e Coppa Italia. 

Seguramente, a maior chance do time de Petkovic conseguir um título é na copa nacional. A Lazio já está classificada para a final e ainda não sabe quem será o seu adversário. Roma e Internazionale fazem o jogo de volta no dia 17 de abril no Giuseppe Meazza (O time da capital venceu a primeira partida por 1 a 0 no Olímpico). 

Mas mesmo sem saber contra quem jogará a Lazio e a sua fornecedora de material esportivo, Macron, planejam utilizar um uniforme especial para a decisão. 

A Macron é uma empresa de material esportivo bolonhesa fundada em 1971 e passou a investir no fornecimento de uniformes para equipes profissionais. A parceria entre a empresa e a Lazio começou em maio de 2012 e tem duração até a temporada 2016-17. Na Serie A, Napoli e Bologna também são patrocinadas por ela.

Com a final prevista para o dia 26 de maio no estádio Olímpico, a Macron decidiu com a Lazio fazer uma homenagem à Itália. O site La Lazio Siamo Noi divulgou o suposto uniforme nesta sexta-feira (29), e a nova camisa da Lazio faz uma homenagem as cores da bandeira (verde, branco e vermelho) da Itália nas mangas e na gola. 



Detalhes da camisa especial para a final da Coppa Italia (Foto: LaLazioSiamoNoi)


A Lazio também afirmou que além dessa novidade, o uniforme trará em seu peito também a data da final e o nome das duas equipes que farão a final, como ocorre nos jogos da Copa do Mundo e nas principais decisões na Europa.




quarta-feira, 27 de março de 2013

Conquistar a Turquia

Numa entrevista com a Gazzetta dello Sport, Hernanes falou do seu sonho de vencer, finalmente, um título com a camisa da Lazio. A equipe capitolina já conquistou uma vaga na final da Copa Itália, que deve ser disputada no próximo 26 de maio, mas o número 8 concentrou a sua atenção na Liga Europa, uma competição na qual a Lazio vem disputando uma temporada ótima, e que pode levar os biancocelesti a conquistar novamente uma copa europeia depois de 14 anos.

A Lazio com a Supertaça Europeia de 1999 (foto: Reprodução/Getty Images)

Mas os obstáculos que separam a Lazio da final de Amsterdã são muitos e não vai ser fácil alcançar um objetivo que transformaria esta temporada em uma histórica para o clube romano. 

O primeiro é o clube turco do Fenerbahçe, que o sorteio decidiu como adversário da Lazio nas quartas. O time de Istambul conta com muitos jogadores da seleção turca, como o goleiro Volkan Demirel e o capitão Belozoglu Emre, combinados com algumas estrelas de experiência internacional, como o português Raul Meireles (ex-Porto, Chelsea e Liverpool), o holandês Dirk Kuyt (ex-Liverpool) e o sérvio Milos Krasic (ex-Juventus). A torcida do estádio Sukru Saracoglu é a mais apaixonada num país já conhecido pelo calor dos seus fãs. Mas, apesar disso, os resultados dos turcos em casa não têm sido excepcionais nesta temporada, pois eles já perderam três vezes.

O Fenerbahçe eliminou com dificuldade o BATE Borisov e o Viktoria Plzen para chegar às quartas da Liga Europa; dois times que não são considerados muito fortes, mas há que ter em conta o fato que eles jogaram com os portões do Sukru Saracoglu fechados nas duas ocasiões. Os turcos também enfrentaram o Borussia Mönchengladbach, que a Lazio eliminou nos dezesseis avos, na fase de grupos. O Fenerbahçe venceu por 4 a 2 no Borussia-Park, mas, já classificado, perdeu por 3 a 0 em casa.

O retorno de Mauri e Klose pode ser decisivo para melhorar os desempenhos de um clube que nos últimos dois meses teve resultados negativos, especialmente na Serie A.

Na minha opinião, o Fenerbahçe não é um adversário impossível de derrotar, mas a Lazio deve ser muito concentrada e jogar ao mesmo nível que mostrou até agora na Liga Europa.


Qual o futuro de Cavanda e Diakité?

Enquanto o técnico Petkovic faz o que pode com o elenco que tem à disposição, alguns jogadores sequer entram em campo. Mas se engana quem pensa que o motivo é lesão ou suspensão. A gestão do presidente Lotito é marcada pela significativa quantidade de jogadores que ficam afastados do time por motivos contratuais. Ultimamente, o caso do argentino Zárate chama mais atenção, mas Diakité e, mais recentemente, Cavanda vivem situação parecida.

Diakité: futuro em tons azulados, mas longe da Lazio (foto: Reprodução/La Presse)


Diakité foi afastado logo no início da temporada, quando começaram as negociações para a renovação do seu contrato, que tem validade até o dia 30 de junho deste ano. A última aparição do zagueiro foi em dezembro de 2012, quando entrou em campo contra o Siena, pela Copa Itália. Foi também a única partida do francês na temporada inteira. Segundo Lotito, Diakité recusou todas as propostas de renovação feitas pela Lazio, o que indicaria que ele já tinha um acerto com outro clube e deixaria a Lazio sem que nenhum centavo entrasse nos cofres biancocelesti.

Com a Cavanda, a história foi um pouco diferente. O lateral começou muito bem a temporada, com atuações convincentes que antes não aconteciam. Quando tudo parecia caminhar para uma extensão de contrato sem grandes dificuldades, mais uma vez a negociação ficou emperrada. Novamente clube e atleta não se entenderam em relação aos valores, e Cavanda foi mais um a ser afastado do time.


Em entrevista à Radiosei, o empresário Ulisse Savini, que agencia a carreira dos dois atletas falou sobre seus futuros. "Visto que Cavanda está afastado, estou procurando uma solução. Sobretudo, estou monitorando o mercado externo, em particular o inglês, que agrada o jogador." Como Cavanda não vem jogando, seu valor de mercado deve cair bastante, mas Savini ameniza: "O preço do jovem é entre três e cinco milhões de euros. Está mais para três, pelo status atual dele. Mas pesará a atitude do clube, que tem o controle da situação. Procurarei levar a melhor oferta à Lazio." O agente entra ainda nos detalhes: "As equipes com as quais estou tendo contato são aquelas que estão estacionadas na zona central da classificação da Premier League. O Arsenal? É um clube que segue muitos jogadores, conversei com eles várias vezes, mas é difícil que Cavanda vá para lá, pois nós preferimos um clube onde ele possa jogar.

"Em janeiro, recebemos uma proposta de 2,5 milhões de euros do Reading, mas o presidente a recusou, mesmo que para nós fosse uma solução agradabilíssima", disse Savini. Sobre os rumores de que Cavanda poderia sair do clube somente em junho de 2014, quando termina seu contrato, o empresário foi direto: "Não há possibilidade de o jogador sair em junho, principalmente porque ele é jovem e não seria bom ficar um ano e meio sem jogar, e em segundo lugar porque ele é grato à Lazio e não quer deixar o clube a custo zero".

Para Diakité o futuro parece mais claro. O destino do francês será provavelmente o Napoli. "Estamos negociando com os azzurri", contou o empresário. "Existem alguns problemas, não sobre os valores, mas porque os partenopei estão decidindo algumas questões a nível societário. Esperamos que estas questões sejam resolvidas. As cifras são maiores do que as oferecidas pela Lazio. A oferta biancoceleste era de 750 mil euros mais bônus, a do Napoli é ligeiramente mais alta. Mas com a Lazio o problema não era financeiro, no final apareceram outros problemas. A oferta inicial da Lazio - continuou Savini - foi de 500 mil euros, ali que o rompimento foi criado. Depois, houve o aumento para a proposta final, que foi feita a cabo da partida da Copa Itália, que o jogador disputou contra o Siena. Naquele momento, estivemos próximos ao acerto."

Já à Rádio CRC, Savini foi mais incisivo: "Não estamos longe de um acordo econômico. Na cabeça de Diakité, o Napoli é a primeira opção e, se devesse fazer um sacrifício financeiro, não haveria problema.  Tanto o presidente azzurro quanto seu diretor esportivo sabem disso. Com o que passamos na Lazio, poderíamos escrever um livro. Creio que após a Páscoa teremos um acerto com o Napoli."


segunda-feira, 25 de março de 2013

Eles estão voltando; ainda bem



Klose e Mauri são dois jogadores de extrema importância para a Lazio. Um é o artilheiro, o cara que decide e põe a bola nas redes. O outro é o capitão e homem das assistências, que também faz seus gols, sempre decisivos. Sem os dois a equipe do técnico Vladimir Petkovic vem encontrando dificuldades.

Sem Klose e Mauri, a Lazio não pode sorrir (foto: Divulgação)

O camisa 11 se lesionou na partida contra o Genoa, no início de fevereiro. Já Mauri sofreu uma contusão na partida seguinte, diante do Napoli (em um lance em que ele se enrolou com a bola ao comemorar o gol laziale). De lá pra cá, a Lazio entrou em campo cinco vezes pela Serie A. Sem duas de suas peças-chave, o time romano venceu apenas uma destas partidas - ante ao Pescara -, e perdeu as outras quatro - contra Siena, Milan, Fiorentina e Torino.

Nestas cinco rodadas, a Lazio marcou apenas dois gols, em dois chutaços de Lulic e Radu, ambos contra o Pescara. Nos outros jogos, o time biancoazzurro sequer balançou as redes. Falando em aproveitamento, nas partidas sem Mauri e Klose os laziali conquistou apenas 20% dos pontos disputados - número digno de rebaixamento. A média de gols sem os dois é de 0,4 por jogo; pífio. Com os dois iniciando a partida, o quadro é completamente diferente: 12 vitórias, um empate e duas derrotas - aproveitamento superior a 82%, números de campeã.

Para a reta final da temporada, onde o time da capital ainda tem empenhos na Liga Europa e disputará a final da Copa Itália, Petkovic espera contar com os dois jogadores, a fim de tentar uma recuperação também na Serie A. Ambos devem retornar na próxima rodada, contra o Catania, no dia 30. Como a lesão do alemão foi mais grave, espera-se que ele fique no banco de reservas.

Com o artilheiro e o capitão de volta ao time, a Lazio terá condições de reagir e procurar sair da má fase que vem se estabelecendo em Formello.


quinta-feira, 21 de março de 2013

A turnê da Lazio no Brasil em 95



Na temporada de 1994-95, a Lazio não conseguiu tirar o título das mãos da Juventus de Vialli e Ravanelli e ficou com vice-campeonato. O clube biancoceleste contava com uma dupla de ataque mortal formada por Giuseppe Signori e Pierluigi Casiraghi. 

Casiraghi foi o artilheiro da passagem laziale pelo Brasil (foto: Divulgação/ATC)

Logo após o fim da Serie A daquele ano, a Lazio foi convidada a fazer uma turnê pelo Brasil onde enfrentaria Atlético-MG, Santos e Guarani. Para ter alguma emoção e valer algo, foi criado um troféu para cada jogo e cada torneio homenageando um brasileiro que vestiu a camisa da Lazio. 

No dia 7 de junho de 1995, a Lazio faria o seu primeiro jogo na excursão pelo Brasil. O torneio foi chamado de Guarisi, um ponta-direita que defendeu os biancocelesti entre 1931 e 1937. O jogo foi contra o Atlético Mineiro de Taffarel no Mineirão. A Lazio do técnico Zeman entrou em campo com: Marchegiani, Favalli, Negro, Bonomi e Chamot; Venturin, Fuser, Rambaudi e De Sio; Casiraghi e Signori. 

O campeão mineiro dominou a partida e abriu o placar com Euller, "O Filho do Vento"; mas a Lazio tinha Signori e o atacante cobrou um pênalti sofrido por ele mesmo e empatou aos 30 minutos do segundo tempo. O regulamento do torneio previa que em caso de empate a taça ficaria com o time visitante. Portanto a Lazio levou à Roma a Taça Guarisi.

Dois dias depois a segunda parada do clube foi na Vila Belmiro, onde enfrentaria o Santos que seria vice-campeão brasileiro logo depois. O Trófeu Barbuy, em homenagem ao centro-médio que atuou pela Lazio em 1931 e depois se tornou treinador do clube. Zeman fez algumas mudanças na equipe que foi a campo com: Marchegiani, Favalli, Negro, Grandoni e Chamot; Di Matteo, Winter, Rambaudi e Piovanelli; Signori e Casiraghi.

Em um jogo eletrizante, a dupla de ataque da Lazio, na época também da seleção da Itália, abusou do bom futebol e das diversas tabelas. No primeiro tempo que terminou 3 a 1, Casiraghi fez dois e Signori fez um, com Jamelli descontando para os praianos. No segundo tempo, o Santos voltou melhor e empatou com Marcelo Passos e Demétrius. Com o empate, as duas equipes queriam conquistar a Taça e com muita vitalidade acabaram acontecendo três expulsões: Chamot e Grandoni da Lazio e Mauricio Copertino do Santos.

Mas mesmo com um a menos em campo, a Lazio ainda marcou mais dois gols em contra-ataques fulminantes com o meia Fuser aproveitando ambas as chances. Outro grande destaque da partida foi o goleiro Marcheggiani que saiu da Vila recebendo elogios de todos adversários, pois efetuou pelo menos três "milagres".  A Lazio conquistava no dia 9 de junho o segundo troféu em terras brasileiras. 

A última partida foi realizada no dia 13 de junho contra o Guarani em Campinas. A equipe do Brinco de Ouro da Princesa tinha um time muito bom que contava com Djalminha e Luizão. O troféu foi chamado Tozzi. Humberto Tozzi foi atacante da Lazio entre 1956 e 1960 sendo campeão e artilheiro da Coppa Italia de 1958.  Dessa vez, Zeman poupou apenas o goleiro Marchegiani e entrou com: Orsi, Favalli, Negro, Bonomi e Chamot; Di Matteo, Fuser, Winter e Rambaudi; Casiraghi e Signori. 

O jogo foi bastante emocionante e disputado como todos os outros na turnê laziale pelo Brasil. O zagueiro Cláudio cobrou uma falta com potência e abriu o placar para o bugre, mas em duas grandes jogadas Casiraghi virou a partida para a Lazio.  No começo do segundo tempo, o zagueiro Bonomi foi expulso e deixou a equipe romana em desvantagem numérica, logo depois Djalminha empatou em pênalti duvidoso. Aos 27 minutos, o lateral Favalli foi o segundo laziale a ser mandado para fora de campo.  Mesmo com dois homens a menos, a Lazio foi corajosa e matou o jogo com o artilheiro dos momentos finais, Diego Fuser. O terceiro troféu em uma semana viria na bagagem da Lazio de volta à Roma.


domingo, 17 de março de 2013

Lazio perde mais uma e complica o sonho europeu

O desempenho da Lazio no segundo turno segue sendo patético. Ao perder para o Torino por 1-0, o time acumulou a sexta derrota desde a virada para a metade final do campeonato, levantando suspeitas sobre a real intenção da equipe em seguir lutando pela sonhada vaga na Liga dos Campeões da UEFA, priorizando a Copa da Itália e a Liga Europa.

Ciani é tolamente expulso e prejudica os planos da Lazio (Foto: corrieredellosport.it)

Não foi, de fato, uma noite agradável para a Lazio. A conhecida proposta de jogo de Petkovic de explorar a posse de bola e arrancadas pelos flancos foi seriamente prejudicada pelo campo repleto de neve, que caía incessantemente na cidade de Turim. Apesar disso, o time apresentava um bom volume de jogo e dava sinais de conseguir vencer tranquilamente o jogo nos minutos iniciais. Logo aos 10 minutos, Cana cabeceou com força na trave de Gillet.

Aos 16 minutos, entretanto, Ciani recebe cartão amarelo por parar um contra ataque do Torino no meio de campo e 30 segundos depois, erra o tempo de bola e dá um carrinho imperdoável no adversário. Assim, o árbitro Tagliavento deixou a Lazio com 10 jogadores.

Apesar da expulsão, o ritmo de jogo laziale conseguiu ainda assim ser imposto e o placar só não foi aberto pelo excesso de erros de passes da equipe romana, muito em função das condições precárias do gramado do Estádio Olímpico de Turim.

As duas equipes voltaram sem alterações para o segundo tempo, porém o Torino buscou atacar mais e começou a levar perigo para uma Lazio que levava o jogo com letargia, esperando pelo apito final para voltar com o empate para Roma. Tudo ruiu quando aos 78 minutos de jogo, o brasileiro Jonathas que havia acabado de entrar em campo vindo do banco de reservas, desviou uma cobrança de escanteio para o fundo das redes de Marchetti.

Não faltou esforço para tentar empatar o jogo, porém nitidamente os jogadores sentiram o cansaço originado no excesso de partidas disputadas nas três competições em que a Lazio está e não conseguiram incomodar o Torino, que só teve o trabalho de manter a posse de bola e esperar pelo fim do jogo.

Estado do gramado em Turim (Foto: AvantiLazio.com)
Torino-Lazio 1-0

Torino (4-2-4): Gillet; Darmian, Glik, Rodriguez, D'Ambrosio; Brighi, Gazzi; Santana (61' Birsa), Meggiorini (57' Bianchi), Barreto (77' Jonathas), Cerci. Técnico: Ventura

Lazio (4-1-4-1): Marchetti; Pereirinha, Cana, Ciani, Radu; Ledesma; Candreva, Gonzalez (77' Biava), Onazi (79' Saha), Lulic; Kozak (77' Ederson). Técnico: Petkovic

Gol: 78' Jonathas (T).

Cartões amarelos: Gilk e Cerci (T) e Ciani (L);
Cartão vermelho: Ciani (L).

Árbitro: Paolo Tagliavento;
Assistentes de linha: Maggiani e Passeri;
Quarto Árbitro: Cariolato;
Assistentes de área: Giacomelli e Di Bello.


sábado, 16 de março de 2013

O artilheiro Tounkara

Mais um jovem oriundo da África tem feito sucesso nas categorias de base da Lazio. Vindo de um uma família simples de Senegal, Mamadou Tounkara assinou contrato de três anos com o time biancoceleste em agosto de 2012 vindo do Barcelona, a exemplo do seu companheiro e compatriota Keita Balde Diao.

Tounkara fora das quatro linhas  (Foto: Reprodução/Sport.es)

Criado em Blanes, na Espanha, o atleta que tem duplo passaporte (senegalês e espanhol) disputou campeonatos de base defendendo a "Fúria", um desses campeonatos foi a Copa Independência realizada no México. Por conta de duas lesões e casos de indisciplina, Tounkara não renovou com o Barcelona e assinou um contrato de três anos com a Lazio. Ele e Keita jogam juntos há muito tempo: os dois começaram na equipe culé.

O jogador não defende apenas o time Primavera, como tem idade para jogar com os allieve (sub-18), Tounkara é frequentemente convocado por Simone Inzaghi. A última partida do senegalês foi muito boa, ele marcou duas vezes e decretou a vitória laziale diante do Milan. Com a ajuda de Tounkara a equipe chegou a primeira colocação do grupo e conquistou a classificação as quartas de final do Torneio Arco Beppe Viola.

Tounkara está jogando o Campeonato Primavera e, no ano de 2013, tem cinco partidas e um gol. O jogador é um dos responsáveis pela grande campanha da equipe laziale na competição (o time romano está na primeira colocação do grupo C). O atacante também contribuiu bastante na última Copa Viareggio - ao todo, foram três assistências do senegalês. Muitos dizem que Tounkara é um jogador "moderno", ou seja, ele faz seus gols lá na frente e ajuda a defesa lá trás.

Forte fisicamente (1,86 cm e 84 kg), o jogador vem encantando a torcida e o técnico Petkovic, que o  convocou para alguns treinos com a equipe principal em Formello. O jovem de apenas 17 anos busca seu espaço na Lazio e, segundo Alberto Bollini (treinador do time primavera), já está preparado para atuar entre os profissionais. Tudo que Tounkara quer é uma oportunidade, enquanto ela não chega, ele ajuda o time Primavera com gols e boas atuações.




sexta-feira, 15 de março de 2013

Lazio enfrentará o Fenerbahçe nas quartas de final da Liga Europa

O sorteio realizado em Nyon, na Suíça, na sexta-feira (15) definiu os confrontos das quartas de final da UEFA Europa League. A Lazio foi sorteada para enfrentar o Fenerbahçe, da Turquia, e decidirá a vaga paras as semifinais no estádio Olímpico.

O experiente Kuyt (à direita) é um dos destaques do time turco (foto: Reprodução/Pressball)

O time de Vladimir Petkovic está invicto na competição e decidirá uma vaga nas semifinais contra o Fenerbahçe, que se classificou em primeiro no grupo C, que tinha Borussia M'Gladbach - eliminado pela Lazio nos dezesseis avos -, Olympique de Marseille e Limassol. Os turcos ainda passaram por BATE Borisov e Viktoria Plzen antes de chegar às quartas.

O treinador da Lazio comentou o resultado do sorteio: "O Fenerbahçe é uma equipe forte, que impõe respeito, mas não é imbatível. Como todos os times turcos, não rendem o máximo fora de casa. Eles têm jogadores importantes no elenco, com muita experiência, como Emre. Têm atletas fortes no ataque, são um time sólido. Devemos jogar como sabemos"

O jogo de ida será realizado no estádio Sükrü Saracoglu, em Istambul, no dia 4 de abril, enquanto a volta será no dia 11, no estádio Olímpico - mais uma vez com portões fechados. Ambas as partidas começarão às 16h05 (de Brasília).

Veja os outros confrontos:

Chelsea-Rubin Kazan;
Tottenham-Basel;
Benfica-Newcastle.


quinta-feira, 14 de março de 2013

Com três de Kozak, Lazio vence Stuttgart novamente



A Lazio recebeu o Stuttgart em um estádio Olímpico vazio por conta da punição dada pela UEFA contra cânticos racistas de torcedores da equipe e conseguiu nova vitória no jogo de volta da oitavas de final da Liga Europa por 3 a 1. Os três gols do time foram marcados por Kozak enquanto Hajnal descontou para os tedescos. 

Kozak fez os três gols da vitória da Lazio (Foto: Facebook S.S. Lazio)
Aos seis minutos, Kozak abriu o placar. Radu cruzou rasteiro da esquerda e o atacante tcheco chutou forte sem defesas para Ulreich. Dois minutos depois foi a vez de Hernanes dar belo lançamento para Kozak que avançou e chutou de direita para marcar o segundo gol da partida.

Aos 41 minutos, Lulic deu um recuou perigoso para Marchetti que teve que dividir com o atacante do clube alemão. No choque, o goleiro levou a pior e teve que sair de campo com um corte na cabeça. Bizzarri entrou em seu lugar. 

Aos 16 minutos do segundo tempo o Stuttgart diminuiu. Após cruzamento da direita, a defesa da Lazio rebateu errado e Hajnal dominou na entrada da área e chutou rasteiro para as redes. 

 Com o placar garantido, Petkovic tirou Hernanes e Mauri para as entradas de Ederson e Ledesma. Com as mudanças, a equipe segurou o ímpeto do Stuttgart e conseguiu uma nova vitória.

No fim do jogo ainda deu tempo para Kozak marcar seu terceiro gol na partida. Após cruzamento de Candreva a bola encontrou a cabeça do matador tcheco que só escorou para as redes e deu números finais a partida.

Com o resultado, a Lazio está classificada para as quartas-de-final da Liga Europa e espera o sorteio para conhecer o seu próximo adversário.

Estádio Olímpico vazio por conta da punição da UEFA à Lazio. (Foto: Facebook S.S. Lazio)

LAZIO – STUTTGART 3-1

Lazio (4-4-1-1): Marchetti (42' Bizzarri); Pereirinha, Biava, Ciani, Radu; Candreva, Onazi, Hernanes (73' Ederson), Lulic; Mauri (65' Ledesma); Kozak. Técnico: Petkovic

Stuttgart (4-2-3-1): Ulreich; Sakai, Tasci, Nierdermeier, Molinaro; Gentner Holzhauser; Macheda (64' Traorè), Hajnal (73' Harnik), Okazaki; Ibisevic. Técnico: Labbadia


Gols: 6' Kozak (L), 8' Kozak (L), 62' Hajnal (S) 87' Kozak (L)

Cartões Amarelos: Ibisevis, Hajnal (S) e Biava (L).


Árbitro: Tom Harald Hagen (NOR)
Assistentes de linha: Dag-Roger Nebben, Sven Erik Midthjell
Quarto Árbitro: Svein Inge Wiken
Assistentes de área : Dag Vidar Hafsas, Svein-Erik Edvartsen